A UBIQUIDADE ELETROMAGNÉTICA

Deus entregou a Moisés as Tábuas de Pedra, com os Dez Mandamentos, através 
da energia fotânica da sarça ardente e a energia acústica das palavras. 
Gravou o seu pensamento em letras esculpidas, fazendo prova da sua presença 
a todos os seres humanos. Essa ubiqUidade manuscrita, multipilcou-se pelos
séculos nos tijolos de barro, papiros, pergaminhos, chegando ao papel pelos 
tipos e a prensa de Gutenberg, em 1450, com os exemplares da primeira
Bíbila. Desde então, a Imprensa realiza, infinitamente, essa ubiquidade
impressa.

Sob a Inspiração de Deus, o sacerdote Roberto Landell de Moura, repetiu, em 
1893, o episódioo técnico fotônico da sarça ardente, criando a ubiquidade 
eletromagnética.

Do alto da Av. Paulista, o padre Landell de Moura falou no microfone 
acústico do seu transmIssor-receptor, e por lampejos de luz modulada, as 
suas palavras foram ouvidas no fone do receptor do seu Assistente, no alto
de Santana, em São Paulo. 0 padre Landell de Moura agradeceu a Deus o êxito 
do empreendimento. Estava criada, por fótons, a transmissão eletromagnética 
da palavra pelo ar.
    
No dia 30 de junho de 1928 faleceu o padre Roberto Landell de Moura em 
Porto Alegre. A sua predestinação de missionário do ar universalizou-se a 
12 de fevereiro de 1931 com a inauguração da Rádio VatIcano, em Roma, a
Primeira Igreja Eletrônica.

Mais tarde, já  se faziam presentes nos Templos de todas as Religiões. 
integrados as cerimônias, o Microfone e o Alto Falante, criados e 
patenteados por Landell de Moura para a amplificação eletromagnética da voz
humana.

0 padre-clensística Roberto Landell de Moura explicou e provou, com o 
elétron modulado, a compatibilidade entre a religião e a Ciência. Viveu com 
oito estágios  convergentes, quatro dos quais, pregava no púlpito para os
fiéis. OS outros quatro, no seu laboratório eletroeletrônico, manejando os 
seus aparelhos:
    
      Na Religião:

      NASCIMENTO - VIDA - MORTE - VIDA ETERNA
    
      Na Ciência:
    
      ENTRADA - SAÍDA - ONDA ELETROMAGNÉTICA - RECEPTOR

(Otto Albuquerque - RG Cultura, Jan/fev/97)