ARTIGO: LANDELL DE MOURA CONTRIBUIÇÕES

 

AUTOR: Jaqueline Fabri

 

Referência:  Pág 95 do livro “O Poder do Jovem” de Lauro Trevisan.

 

 

“Landell de Moura, genial inventor gaúcho, que viveu na segunda metade do século passado, inventou, antes de Marconi, o telégrafo sem fio, fez experiências com transmissões de rádio, além de inventar o microfone e o fonógrafo, que foram, injustamente, atribuídos a outros inventores.

 

Este Padre, que nasceu em Porto Alegre, nunca foi entendido pelos contemporâneos, que o tacharam de louco, bruxo e outros títulos desagradáveis.

 

Em São Paulo, realizou, por volta de 1893, dois anos antes de Marconi, experiências de transmissão sem fio da palavra falada, a uma distância de oito quilômetros, entre o Alto da Avenida Paulista e o Alto de Sat´Ana.

 

Um dia, quando voltava de uma visita a um moribundo, encontrou a casa arrombada e seus aparelhos, montados com tanto sacrifício, quebrados, destroçados, em pedaços.

 

No ano de 1.900 conseguiu registrar mais um invento, cuja patente Nº 3.270 refere-se a: “um aparelho apropriado a transmissão da palavra à distância, com ou sem fios, através do espaço, da terra e da água”. Nesse ano, já o jornal de São Paulo falava em “ondas landellianas”.

 

Mas, Landell de Moura teve que lutar durante toda a vida contra o descaso oficial, a oposição do povo, e até mesmo a má vontade dos meios eclesiásticos em relação a essa atividade. Hoje em dia fala-se muito em aura, que envolve o corpo humano e pode ser até fotografada, foi descoberta do mundo científico moderno.

 

Essa aura, que envolve o corpo humano e pode ser até fotografada, foi descoberta pelo padre Roberto Landell de Moura, que lhe deu o nome de “Periante” e afirmou ser possível fotografá-la”.

 

Fonte: http://walkiriajaqueline.multiply.com/journal/item/35/35